Pular para o conteúdo principal




→ Passport ←

Matthias, the apostle


Matias, o apóstolo que substituiu Judas Iscariotes


Memória simbólica: 24 de Fevereiro e 14 de Maio (Cristianismo Ocidental), e 9 de Agosto (Cristianismo Oriental).

Leitura principal: Atos 1:15-17; 1:20-26


Matias (Matatias ou Mateus) é nome frequente entre os hebreus, e quer dizer «dom de DEUS». Porém, poucas são as informações a respeito de Matias, o apóstolo. O que dele sabemos consta no início do Livro dos Atos dos Apóstolos. Para substituir Judas, o traidor, os Onze reunidos indicaram dois nomes: José Barsabás (apelidado Justo), e Matias. Eles tinham acompanhado JESUS, a começar do batismo de João, até o dia em que JESUS foi levado ao céu. Mediante sorteio, Matias foi eleito pela proposta de Simão Pedro, que em poucas palavras fixou os três requisitos para o ministério apostólico: pertencer aos que seguiam JESUS desde o começo; ser chamado; e também ser enviado (Atos 1:21-22). O novo apóstolo, cujo nome brilha na Escritura somente no instante da eleição, viveu com os Onze a fulgurante experiência de Pentecostes em 30 d.C., antes de encaminhar-se pelo mundo afora para anunciar a Glória do Senhor JESUS.

A segunda e a terceira condições para ser apóstolo (ser Divinamente chamado e enviado) estão claramente expressas pela oração do colégio apostólico: «O Senhor conhece todos os corações; mostre-nos quál destes homens escolheu como apóstolo». (Atos 1:24)

A eleição de Matias via sorteio, é conforme o costume antigo (amplamente registrado na Sagrada Escritura) para conhecer a vontade Divina. A própria divisão da Terra Prometida foi mediante sorteio; e os apóstolos julgaram oportuna a conformidade com esse método.

Nada se sabe de suas atividades apostólicas. Segundo a tradição, Matias evangelizou na Judeia, Capadócia, e na Etiópia. Sofreu perseguições e o martírio. Morreu em Jerusalém, testemunhando sua fidelidade a JESUS.

Most visited posts of this week:

Mary of Clopas

Maria de Cleofas (ou Clopas)
Memória simbólica: 09 de Abril (ou 24 de Abril, juntamente com Salomé, mãe dos apóstolos Tiago Maior e João Evangelista, filhos de Zebedeu).

Leitura principal: Marcos 15:40-41; 16:1-7.

Era a esposa de Cleofas/Clopas (Alfeu), e mãe de Tiago Menor e de José. (Mt 27:56, 27:61; João 19:25) A tradição, embora sem nenhum apoio bíblico, diz que Clopas e José, pai adotivo de Jesus, eram irmãos. Se isto for verdade, então esta Maria era cunhada de Maria (mãe de JESUS), e os filhos, primos de JESUS.

Maria de Cleofas não somente estava entre as mulheres que tinham acompanhado JESUS desde a Galileia para ministrar-Lhe, mas também presenciou ser ele crucificado (Mateus 27:55; Marcos 15:40-41). Junto com Maria Madalena, Maria de Cleofas permaneceu algum tempo perto do túmulo dele naquela dolorosa tarde (Mateus 27:61). No terceiro dia, as duas e mais outras, foram ao túmulo com aromas e óleo perfumado para untar o corpo de JESUS, mas para seu espanto, encontraram o túmul…