Pular para o conteúdo principal




→ Passport ←

Guard yourselves from the greed


Lucas 12:15


(Nova Versão Transformadora)

Em seguida, [JESUS] disse: «Cuidado! Guardem-se de todo tipo de ganância. A vida de uma pessoa não é definida pela quantidade de seus bens».


Palavras de JESUS DE NAZARÉ (segunda Pessoa da SANTÍSSIMA TRINDADE: YHWH manifesto de três formas), dirigidas a um homem que pediu que JESUS julgasse a respeito duma herança (Lucas 12:13-14). Este diálogo aconteceu antes de JESUS contar a parábola do rico insensato, no terceiro ano (28-29 d.C.) do Ministério d’Ele na Terra (26-30 d.C.)


Comentários:

A ganância é o desejo excessivo de riqueza ou posses. É uma mania que prende as pessoas, fazendo com que elas desejem mais e mais. É uma febre que as leva a ansiar por coisas que de realmente não precisam.

Vemos a ganância no homem de negócios que nunca está satisfeito, que diz que vai parar quando acumular certa quantia, mas quando chega esse momento, ele está com fome de mais.

Nós vemos a avareza na dona de casa, cuja vida é uma farra de compras sem fim. Empilha toneladas de coisas diferentes até incharem seu sótão, garagem e despensa com o espólio.

Percebemos a ganância na tradição dos presentes de aniversário e de Natal. Jovens e idosos julgam o sucesso da ocasião pela quantidade de itens que conseguem acumular.

Nós palpamos a avareza na disposição de uma herança. Quando alguém morre, seus parentes e amigos derramam lágrimas fingidas; depois, descem como lobos para dividir a presa, muitas vezes iniciando uma guerra civil no processo.

A cobiça é idolatria (Efésios 5:5; Colossenses 3:5). A ganância coloca a vontade da pessoa no lugar da vontade de DEUS. Expressa insatisfação com o que DEUS deu, e está determinada a obter mais, não importa quál seja o custo.

A ganância é uma mentira, que cria a impressão de que a felicidade está na posse de coisas materiais. Conta-se a história de um homem que poderia ter tudo o que queria simplesmente desejando-o. Ele queria uma mansão, empregados, uma Mercedes, um iate e ¡pronto! Tudo isso estava lá instantaneamente. No começo, isso foi estimulante, mas quando ele começou a ficar sem novas ideias, ficou insatisfeito. Finalmente ele disse: «Eu quero sair daqui. Eu quero criar algo, sofrer alguma coisa. Eu preferiria estar no inferno do que aqui». O servo respondeu:  «Então ¿ônde o senhor pensa que está?».

A ganância tenta as pessoas a arriscarem, enganarem e pecarem para conseguir o que querem.

A cobiça torna um homem incompetente para a liderança na igreja (1 Timóteo 3:3). Ronald Sider pergunta: «¿Não seria mais bíblico aplicar a disciplina eclesial àqueles cuja ganância voraz os levou ao “sucesso financeiro”, em vez de elegê-los como parte do conselho de anciãos?».

Quando a ganância leva a apropriação indébita, extorsão ou outros escândalos públicos, exige excomunhão (1 Coríntios 5:11).

E se a ganância não é confessada e abandonada, leva à exclusão do Reino de DEUS (1 Coríntios 6:10).

Most visited posts of this week:

Shavuot (Pentecost)

Pentecostes é o nome grego para um festival bíblico conhecido em língua hebraica como Shavuot: a Festa das Semanas (Levítico 23:15; Deuteronômio 16:9). A palavra grega significa «cinqüenta», e refere-se às cinco dezenas de dias que transcorrem desde a oferta movida da Páscoa (Levítico 23:4-22). A Festa das Semanas (Shavuot) celebra o fim da colheita de grãos.

Esta celebração é a segunda das três grandes festas anuais do Pentateuco (Torá). As outras são a Páscoa/Festa dos Pães sem Fermento, e Sucot/Festa dos Tabernáculos (Êxodo 23:14-16; Levítico 23:15-21; Números 28:26-31; Deuteronômio 16:9-12).

Etimologia
A Festa das Semanas (Shavuot) adquiriu o nome de Pentecostes, por causa de que se comemorava no dia qüinquagésimo a partir da jornada em que era movido o molho (feixe) da oferta (Levítico 23:15).

Em hebraico, o nome desta festa é Shavuot. Este vocábulo é plural de Shavua, que em hebraico significa «semana». Portanto, Shavuot significa «semanas».

Em grego, o nome desta festa é Pentec…