Pular para o conteúdo principal




→ Passport ←

Dismas (Rakh), the penitent thief

Dimas,
interpretado por Fifo Benicasa
em 2018-2019.

Dimas (ou Rakh), o ladrão arrependido


Leitura principal: Lucas 23:32-43.


Na Bíblia, o nome do ladrão arrependido não aparece. Ele expressa a crença de que JESUS virá no Reino de DESUS, e pede que, nesse dia, JESUS se lembre dele (Lucas 23:39-43). A tradição cristã dá-lhe o nome de Dimas (Rakh no Cristianismo oriental) a este ladrão arrependido, e ao outro, denomina-o Gestas.

Estes dois ladrões foram crucificados ao mesmo tempo que JESUS, um à Sua direita e outro à Sua esquerda (Mateus 27:38; Marcos 15:27-28, 15:32; Lucas 23:33; João 19:18), fato que o Evangelho de Marcos afirma como cumprimento da profecia de Isaías 53:12. De acordo com os Evangelhos de Mateus e Marcos, respectivamente, ambos os ladrões zombaram de JESUS (Mateus 27:44; Marcos 15:32); Lucas, no entanto, menciona que depois um dos ladrões repreendeu o outro por insultar JESUS (Lucas 23:39-43).

Segundo a tradição, o ladrão arrependido foi crucificado à direita de JESUS, e o outro ladrão foi crucificado à Sua esquerda. Por esta razão, as representações da crucificação de JESUS freqüentemente mostram a cabeça d’Ele inclinada para a direita, mostrando Sua aceitação do ladrão arrependido. No Cristianismo oriental, a cruz é geralmente representada com três barras:
• A superior, representando o titulus (a inscrição que Pôncio Pilatos escreveu e foi pregada acima da cabeça de JESUS);
• A barra mais longa, na qual as mãos de JESUS foram pregadas;
• E uma barra inclinada na parte inferior, representando o apoio para os pés, no qual foram pregados os de JESUS. O apoio para os pés é inclinado, apontando para o ladrão arrependido a parte superior, e apontando para o outro a parte inferior.

A conversão do ladrão às vezes é dada como um exemplo dos passos necessários que alguém deve tomar para chegar à salvação através de CRISTO: consciência do pecado pessoal, arrependimento do pecado, aceitação de CRISTO, e recebimento (pela fé) da promessa de Salvação e Vida Eterna. Além disso, se o arrependido não teve tempo para receber o batismo, isso não irá interferir em sua salvação, já que este ladrão não teve oportunidade para isso. No entanto, não é recomendada a procrastinação e negligência do batismo de modo geral, pois raramente alguém morre logo após se entregar a DEUS através de CRISTO JESUS.

Estátua de Dimas em Březnice, Boêmia Central, Tchéquia, datada de 1750.

Memória simbólica: 25 de Março (ou Sexta-feira Santa no Cristianismo oriental).

Most visited posts of this week:

Shavuot (Pentecost)

Pentecostes é o nome grego para um festival bíblico conhecido em língua hebraica como Shavuot: a Festa das Semanas (Levítico 23:15; Deuteronômio 16:9). A palavra grega significa «cinqüenta», e refere-se às cinco dezenas de dias que transcorrem desde a oferta movida da Páscoa (Levítico 23:4-22). A Festa das Semanas (Shavuot) celebra o fim da colheita de grãos.

Esta celebração é a segunda das três grandes festas anuais do Pentateuco (Torá). As outras são a Páscoa/Festa dos Pães sem Fermento, e Sucot/Festa dos Tabernáculos (Êxodo 23:14-16; Levítico 23:15-21; Números 28:26-31; Deuteronômio 16:9-12).

Etimologia
A Festa das Semanas (Shavuot) adquiriu o nome de Pentecostes, por causa de que se comemorava no dia qüinquagésimo a partir da jornada em que era movido o molho (feixe) da oferta (Levítico 23:15).

Em hebraico, o nome desta festa é Shavuot. Este vocábulo é plural de Shavua, que em hebraico significa «semana». Portanto, Shavuot significa «semanas».

Em grego, o nome desta festa é Pentec…