Pular para o conteúdo principal




→ Passport ←

Annunciation of the Lord JESUS


Anunciação do Senhor JESUS


Memória:
25 de Março (data simbólica)
15 de Tevet/Tebete (meados de Janeiro, data mais provável e acertada)

Leitura principal: Lucas 1:26-38.

Os primeiros cristãos lembravam as palavras do arcanjo Gabriel e da prima Isabel, registradas no Evangelho de Lucas. O conteúdo da anunciação diz respeito ao MESSIAS e à sua mãe, pois Quem nasceu dela é o FILHO DE DEUS.

O anjo usa a linguagem dos profetas do Antigo Testamento em suas profecias messiânicas, iniciando com convite à alegria e garantindo a ajuda de DEUS à Virgem escolhida para a mais alta missão. Maria é objeto das complacências divinas: YHWH está com ela, encontrou graça aos olhos do Altíssimo, será virgem e mãe de DEUS encarnado. A própria Maria reconhece nas palavras do anjo os termos proféticos que prenunciam a revelação do MESSIAS. Comparando a profundidade religiosa do total abandono de Maria à vontade de DEUS, com aquilo que tem de sobrenatural com o anúncio feito, podemos afirmar que no momento da sua resposta definitiva do fiat (faça-se), nela estava já presente, de modo real, o que se tornaria pouco a pouco manifesto, no decorrer de sua vida, graças ao contato com seu Divino Filho.

No momento da anunciação, Maria é a mais alta expressão da expectativa de DEUS e do MESSIAS no Antigo Testamento; é síntese e o ponto culminante da expectativa messiânica dos hebreus. É assim que a vê Lucas no Magnificat; é assim que a vê a patrística, que a revive a teologia contemporânea. Por causa da Graça de DEUS, Maria recebeu favores e luzes excepcionais. Graças a tudo isso, indicou na sua pessoa a abertura fundamental à expectativa de YHWH, o Salvador do mundo.


Most visited posts of this week:

Seven reasons to fast

Sete motivos para jejuar
O jejum é a prática de não se alimentar durante determinado tempo (1 Reis 21:9). É voluntário, exige pureza de vida (Isaías 58:3-7), e exclui a exibição (Mateus 6:16-18). Em duas passagens bíblicas relata-se que a liderança da Igreja, seguindo o costume hebraico, orou com jejum (Atos 13:2-3; 14:23).

A prática do jejum não é obrigatória (exceto em Yom Kippur), mas é uma recomendação bíblica, porque as Escrituras trazem consigo alguns princípios que devem ser entendidos e seguidos.

Por isso, eis 7 motivos para jejuar:

1.- Crescer em intimidade com JESUS.
2.- Adquirir sabedoria e direção.
3.- Receber proteção.
4.- Experimentar o poder de DEUS.
5.- Esperar o cumprimento das promessas de DEUS em nossas cidades e nações.
6.- Deter uma crise individual, familiar ou nacional.
7.- Receber revelação profética do final dos tempos.

Kenneth Hagin afirmou o seguinte: «O jejum não muda a DEUS. Ele é o mesmo antes, durante e depois de seu jejum. Mas, jejuar mudará você. Vai l…