Jacob ben Isaac

Jacó, filho de Isaque,
interpretado em 2018
por Felipe Cardoso.

Jacó, filho de Isaque


Leitura principal: Gênesis 28:10-22

Memória simbólica: 5 de Fevereiro.

Dados gerais:

• Ônde: Canaã (atual Israel) e Padã-Arã (atual Curdistão).
• Ocupação: pastor, fazendeiro.
• Parentes: Isaque/Isaac e Rebeca (pais); Esaú (irmão); Labão (tio materno e sogro); Raquel e Leia/Lia (primas e esposas maternas); além de doze filhos (os doze patriarcas hebreus) e uma filha (Dina/Diná) citada na Bíblia.

Raquel, Lia e Jacó,
interpretados em 2018 por
Graziella Schmitt, Bruna Pazinato, e Felipe Cardoso.

Abraão, Isaque e Jacó estão entre as pessoas mais destacadas do Tanakh (Antigo Testamento sem deuterocanônicos). É bom notar que sua relevância não se baseia em seu caráter, mas no caráter de DEUS. Eles eram homens que mereciam respeito, apesar da inveja e do medo de seus contemporâneos. Embora fossem ricos e poderosos, eram egoístas, capazes de mentir e enganar. Eles não foram os heróis perfeitos que poderíamos esperar. Eles foram como nós: tentavam agradar a DEUS, mas freqüentemente fracassavam.

Jacó foi o terceiro elo no plano de DEUS para iniciar uma nação a partir de Abraão. Antes de Jacó nascer, DEUS prometeu que Seu plano seria realizado através dele, e não pelo seu irmão gêmeo Esaú (Gênesis 25:21-23). Embora os métodos de Jacó não sejam inteiramente respeitáveis, devemos admirar sua habilidade, determinação e paciência. Quando estudamos sua vida, do nascimento à morte, podemos ver nele a obra de DEUS.

A vida de Jacó teve quatro etapas, cada uma marcada por um encontro pessoal com DEUS.

Na primeira etapa, ele viveu de acordo com seu nome: «aquele que pega pelo calcanhar», ou «aquele que suplanta» (figurativamente: «aquele que engana»). Jacó pegou Esaú pelo calcanhar ao nascer (Gênesis 25:24-26) e, pouco antes de fugir de sua casa, ele também tomou a primogenitura e a bênção de seu irmão (Gênesis 25:29-34). Em sua fuga, DEUS apareceu a ele pela primeira vez. Não apenas DEUS confirmou sua bênção, mas despertou em Jacó um conhecimento pessoal de Si mesmo (Gênesis 28:10-22).

Na segunda etapa, Jacó experimentou a vida do lado oposto, sendo vítima do engano de Labão, seu tio materno (Gênesis 29:1-30). Mas observamos aqui uma mudança curiosa: o Jacó da primeira etapa teria simplesmente deixado Labão; enquanto o Jacó da segunda etapa, depois de tomar a decisão de partir, esperou seis anos para DEUS lhe dar permissão (Gênesis 31).

Na terceira etapa, Jacó deteve-se novamente. Desta vez, junto ao rio Jordão, onde ele se agarrou de DEUS e não o deixou ir. Jacó percebeu que dependia do Deus que continuara a abençoá-lo. Seu relacionamento com DEUS tornou-se essencial em sua vida, e DEUS lhe deu um novo nome: Israel, «aquele que luta com [ou do lado] de DEUS» (Gênesis 32:22-32 [32:23-33 TNK]).

Na terceira e última etapa da vida de Jacó, DEUS foi quem o agarrou: firmemente tomou Jacó. Quando José, seu filho, o convidou para se mudar para o Egito, Jacó não deu um passo sem a aprovação de DEUS (Gênesis 45:1--46:7).

Pontos fortes e realizações:

• Pai das doze tribos de Israel.
• Terceiro na linha abraâmica dos planos de DEUS.
• Determinado, disposto a trabalhar muito e duro para conseguir o que queria.
• Bom homem de negócios.

Fraquezas e erros:

• Ao enfrentar um conflito, Jacó confiou em seus próprios recursos, e não pediu ajuda a DEUS.
• Jacó tendia a acumular riqueza para seu próprio benefício.

Lições de sua vida:

• A segurança não está no acúmulo de ativos.
• Todas as intenções e ações humanas, para o bem ou para o mal, DEUS as entrelaça no curso de Seus planos.

Versículo chave: Gênesis 28:15.

A história de Jacó é contada em Gênesis 25:19--50:26. Também é mencionado em Oseias 12:2-5; Mateus 1:2; Mt 22:32; Atos 3:13; At 7:46; Romanos 9:11-13; Hebreus 11:9; e Hb 11:20-21.