Pular para o conteúdo principal




→ Passport ←

Do not break your promise



Mateus 5:33


(Nova Tradução na Linguagem de Hoje)

Vocês ouviram o que foi dito aos seus antepassados: “Não quebre a sua promessa, mas cumpra o que você jurou a YHWH que ia fazer.”


Palavras de JESUS DE NAZARÉ (segunda Pessoa da SANTÍSSIMA TRINDADE: YHWH manifesto de três formas), no Sermão da Montanha. Tudo isto aconteceu durante o segundo ano (27-28 d.C.) do ministério de JESUS na Terra (26-30 d.C.)


Comentários:

Ele era um líder corajoso; ela era uma esposa submissa. Ele era um forte guerreiro; ela era uma simples dona de casa. ¿De quêm estamos falando? Do juiz Jefté e de Ana, esposa de Elcana. ¿O quê essas pessoas tão diferentes poderiam ter em comum? Jefté e Ana fizeram um voto a DEUS, e os dois cumpriram exatamente o que tinham prometido. Podemos aprender muito com o exemplo deles.

Na Bíblia, um voto é uma promessa muito séria que alguém faz a DEUS. Essa promessa pode ser: fazer algo, dar alguma coisa, fazer algum tipo de serviço, ou evitar algumas coisas. Ninguém é obrigado a fazer um voto. Mas, depois de feito, ele precisa ser cumprido, porque passa a ser uma obrigação, algo sagrado para DEUS (Gênesis 14:22-23; Hebreus 6:16-17).

Nesta passagem, JESUS enfatiza a importância de dizer a verdade. As pessoas quebravam suas promessas, e usavam uma linguagem sagrada de forma leve e descuidada. Manter votos e promessas é importante, porque ajuda a estabelecer confiança, e possibilita relacionamentos humanos sérios. A Bíblia condena fazer votos de forma leve, dando a palavra e não cumprindo-a, e jurando em vão pelo Nome de DEUS (Êxodo 20:7; Levítico 19:12; Números 30:1-2; Deuteronômio 19:16-20). O juramento é necessário em certas situações, apenas porque vivemos em uma sociedade pecaminosa que gera desconfiança.

Most visited posts of this week:

Seven reasons to fast

Sete motivos para jejuar
O jejum é a prática de não se alimentar durante determinado tempo (1 Reis 21:9). É voluntário, exige pureza de vida (Isaías 58:3-7), e exclui a exibição (Mateus 6:16-18). Em duas passagens bíblicas relata-se que a liderança da Igreja, seguindo o costume hebraico, orou com jejum (Atos 13:2-3; 14:23).

A prática do jejum não é obrigatória (exceto em Yom Kippur), mas é uma recomendação bíblica, porque as Escrituras trazem consigo alguns princípios que devem ser entendidos e seguidos.

Por isso, eis 7 motivos para jejuar:

1.- Crescer em intimidade com JESUS.
2.- Adquirir sabedoria e direção.
3.- Receber proteção.
4.- Experimentar o poder de DEUS.
5.- Esperar o cumprimento das promessas de DEUS em nossas cidades e nações.
6.- Deter uma crise individual, familiar ou nacional.
7.- Receber revelação profética do final dos tempos.

Kenneth Hagin afirmou o seguinte: «O jejum não muda a DEUS. Ele é o mesmo antes, durante e depois de seu jejum. Mas, jejuar mudará você. Vai l…