JESUS was born during Sukkot (Tabernacles)


JESUS nasceu na época de Sucot (Festa dos Tabernáculos), e não em 25 de Dezembro. Seu nascimento pode ser calculado assim:

Zacarias exercia seu sacerdócio no mês de Tammuz (aprox. Julho) (Lucas 1:5-8) por ser do turno de Abias, o oitavo do ano lutúrgico que começa em Abibe/Nisã (c. Abril) (1 Crônicas 24:10). Foi o mês da concepção de João Batista (Lucas 1:23-24), que nasceu em Abibe/Nisã (c. Abril) do ano seguinte. JESUS nasceu seis meses mais tarde (Lucas 1:26), portanto, em pleno Sucot (Festa dos Tabernáculos).

Assim, Sucot é a celebração de quando o SENHOR DEUS disse que habitaria em uma tenda no meio do povo (o que já era um pré-anúncio da vinda do MESSIAS, que nasceria durante as Festa dos Tabernáculos, e assim se fez habitação no meio dos homens, conforme João 1:14).

A seguir, a tradução de Lucas 2:7 conforme o texto Aramaico Siríaco (Peshitta).

«E ela deu à luz seu filho primogênito, e envolveu-o em panos, e deitou-o numa סוכה (sucá/cabana/tenda/manjedoura), porque não havia quarto para eles na hospedaria».

¿Por quê JESUS nasceu durante a Festa dos Tabernáculos? ¡Porque era um acontecimento profético! (Ver Zacarias 14:9 e 14:16-19).

Em João 1:14, o apóstolo João nos descreveu a primeira vinda de JESUS («O Verbo se fez carne e habitou entre nós...»). Vemos, pela palavra usada («habitou»), que a imagem que ele percebeu foi a de tabernáculos, com DEUS habitando no meio de Seu povo.

Há, inclusive, controvérsias sobre a data correta do nascimento de JESUS em Belém da Judeia. Muitos cristãos, pela falta de uma clara informação bíblica a este respeito, se recusam a definir uma data. A Igreja Ocidental, desde o quarto século da era cristã, adota 25 de Dezembro como a data deste Divino evento. A maioria dos historiadores, entretanto, acredita que isto tratou-se de uma concessão feita aos pagãos do Império Romano. Freqüentemente a igreja primitiva adotou como cristãs diversas festividades pagãs, como uma estratégia para obter novas conversões. 25 de Dezembro é um destes exemplos. Tratava-se de uma festividade pagã, antiqüíssima, para comemorar a volta do sol após o solstício de inverno no hemisfério norte. Nada tem a ver com o nascimento de JESUS CRISTO.

Cremos que JESUS nasceu em plena Festa de Tabernáculos, no primeiro dia desta celebração. As razões Divinas para isto tornam-se muito claras, quando examinamos o quadro geral das Festas de YHWH. O Plano Redentor de DEUS, para facilitar um entendimento mais amplo e promover maior aceitação de JESUS como MESSIAS, revelou-se nas datas que YHWH santificou e ordenou a Seu povo celebrar, guardando notáveis paralelos com os significados de cada um desses eventos: JESUS morreu na cruz, como nosso Cordeiro Pascal, no exato dia da Páscoa; JESUS ressucitou no dia das Primícias dos Frutos; o ESPÍRITO SANTO nos é enviado , para nosso revestimento, em Pentecostes. E o nascimento de JESUS, um evento fundamental, ¿se daria fora de uma destas Festas bíblicas? Certamente que não. ¿E quál seria a Festa mais apropriada para JESUS nascer, para DEUS habitar entre nós, senão a Festa de Tabernáculos?

Há várias evidências de que a Festa de Tabernáculos marca o nascimento de JESUS:

Desde que o ministério terrestre de JESUS durou três anos e meio (e Ele morreu na Páscoa, que é em Abibe/Nisã, ou Abril grosso modo), o início de Sua obra, aos 30 anos, aponta Seu nascimento em Etanim/Tishrei (Outubro aprox.), época da Festa dos Tabernáculos, e não em 25 de Dezembro.

¿Cômo os pastores poderiam estar cuidando de seus animais no campo (referência que consta nos Evangelhos sobre o nascimento de JESUS) no fim de Dezembro, em pleno inverno setentrional? Estes ficavam confinados, segundo o costume local, de Novembro a Fevereiro.

Mais uma pista: sabemos por Lucas que Maria e José deslocaram-se para Belém para atender ao censo de Herodes I, que, embora ordenado pelos romanos, mantinha o costume local de fazê-lo na cidade do patriarca de cada família. José era de Belém (e se não fosse por essa razão prática, outra apareceria, porque era necessário que o MESSIAS nascesse em Belém, para cumprimento das profecias). ¿Por quê este evento, ao qual se seguia a cobrança de impostos, se daria no meio do inverno e não após a colheita? A safra que antecede o inverno, a última do ano, é colhida no outono local, seguida imediatamente pela Festa de Tabernáculos.

Sucot (Festa dos Tabernáculos) era uma das três ocasiões em que se dava a peregrinação em massa para Jerusalém (as outras duas eram Páscoa e Pentecostes). Nesta ocasião, não só Jerusalém, mas todas as áreas circunvizinhas recebiam forte afluxo de peregrinos. E Belém dista apenas oito quilômetros ao sul de Jerusalém. Isto pode explicar por quê Lucas nos relata, em seu Evangelho (Lucas 2:7), que os pais terrenos de JESUS não encontraram acomodações em Belém, utilizando-se então de uma manjedoura para abrigo, na situação do Nascimento iminente.

Realmente houve um dia santo marcando o nascimento de JESUS: DEUS habitando no meio de Seu povo (Emanuel), com Seu nascimento perfeitamente tipificado pela celebração de Tabernáculos.

Naquela festa eram costumeiras as orações rogando a DEUS pelas chuvas de inverno, essenciais para restaurar a terra para a próxima safra. E no cerimonial histórico dos judeus por ocasião do segundo Templo, o ponto alto, no último dia da Festa de Tabernáculos, o sacerdote simbolicamente derramava água no altar do Templo, obtendo fervorosa reação da plateia. Falta acrescentar que as águas buscadas não eram apenas as da chuva, desde que um texto bem utilizado era o de Isaías 12:3, que diz: «Vós, com alegria, tirareis água das fontes da salvação». Então, mais do que a chuva, esta cerimônia ilustrava profeticamente os dias de redenção messiânica, quando a água do ESPÍRITO SANTO seria derramada pelo esperado MESSIAS sobre todo Israel.